sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Resenha

Esta resenha apresenta a discussão sobre a produção e consumo de Alimentos Orgânicos. Para tratar do assunto, o grupo recorreu a diversas fontes de pesquisa e selecionou os estudos encontrados nos seguintes sites: www.wikipedia.org/wiki/Agricultura , www.youtube.com (Jornal da Gazeta) , www.natureba.com.br/alimentos-organicos.
Para wikipedia.org (2009) a produção de Orgânicos está baseada correlacionado ao não uso de produtos sintéticos que garante a qualidade do alimento e mantém as características do solo.

“Sistema de produção que exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos
e produtos reguladores de crescimento, tem como base o uso de
estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem
e controle biológico de pragas e doenças. Esse sistema pressupõe
a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar
suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos.”
Wikipédia (2009)

As palavras do autor do texto indicam que a produção de Alimentos Orgânicos garante a qualidade do Alimento e a preservação do solo.
Os estudos da Pesquisa feita pela entrevista feita pelo Telejornal Jornal da Gazeta (2007) mostra através de dados estatísticos que o consumo de Alimentos Orgânicos está crescendo em ritmo acelerado no Brasil, JG (2007, a partir de 1min e 6s) diz da seguinte forma “ O consumo de Produtos Orgânicos crescem em ritmo acelerado no Brasil, as vendas desse tipo de alimento aumentam 30% ao ano...” .
A reportagem deixa bem explícito que as pessoas estão tomando a consciência de quão bom é consumir Alimentos Orgânicos, que a produção e o consumo estão aumentando de forma considerável.
No Site Natureba.com (2009) encontra-se os dados que a maior parte dos orgânicos é produzida em pequenas propriedades de terra e são geralmente de agriculturas familiares, o que deve-se ressaltar que os mesmos deveriam receber maio apoio das autoridades. Segundo o Site Nature.com(2009) “pequenos produtores vem crescendo e viabilizam a agricultura orgânica em muitas regiões fixando o homem no campo. Muitas famílias consomem e vendem o que plantam”.
Com base nos estudos compreendemos que os trabalhos do site Natureba.com, complementam todo o conteúdo desenvolvido pelas outras fontes de pesquisa, pois ressalta a importância da produção e consumo de orgânicos, falando diretamente de quem os produzem.

Bibliografia:
* Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_org%C3%A2nica Acessado em 06/11/2009 às 16h e 45min.
* Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=jd7O9Zgi3BU Acessado em 06/11/2009 às 16h e 30min.
* Disponível em: http://www.natureba.com.br/alimentos-organicos.htm.Acessado em 06/11/2009 às 16h e 05min .

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Entrevista e Vídeo

video

1) QUAIS SÃO AS ETAPAS DO PREPARO DO TERRENO?

Para que a agricultura orgânica de certo é necessário que o agricultor conheça a vocação natural do solo, e com isso, minimize as interferências necessárias para a preparação do solo.

2) QUAL O ADUBO UTILIZADO?

Na agricultura orgânica utiliza-se obrigatoriamente adubos de origem orgânica, não industrializados, tais como restos vegetais, folhagens, aplicação de minhocas no solo buscando tornar o solo o mais vivo possível.

3) QUAIS OS CUIDADOS NECESSÁRIOS PARA UMA HORTA SAUDÁVEL?

Para que consigamos vegetais saudáveis para o consumo humano é preciso o cuidado com a origem dos adubos orgânicos utilizados, devendo-se evitar principalmente dejetos de produções não orgânicas.

4) É NECESSÁRIO O USO DE INSETICIDAS?

Na agricultura orgânica equilibrada o inseticida não e necessário uma vez que o foco são as plantas e não as pragas, plantas saudáveis não atraem insetos.

5) QUAL O TEMPO APROXIMADO PARA A COLHEITA?

Varia com o tipo de plantação, sendo que as folhagens são mais rápidas para a colheita e as batatas, mandioca, inhame, cenouras, etc são um pouco mais lentas.

6) O CLIMA PODE INTERFERIR NESSE PROCESSO?

Sim. A umidade do solo interfere no processo de crescimento da planta.

Entrevista feita com o produtor Adalton Santana, dono da chácara dos Ipes.

sábado, 14 de novembro de 2009

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

História em quadrinhos


Feito pelo grupo.

Charge


Fonte: http://www.jornalcomunicacao.ufpr.br/node/5813

Cultivo de alimentos orgânicos

Fonte: http://ciencisagora.blogspot.com/2009/08/demanda-por-alimentos-impulsiona.html

Pesquisa

Agricultura Orgânica

Sistema de produção que exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos e produtos reguladores de crescimento, tem como base o uso de estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Esse sistema pressupõe a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos. A agricultura orgânica está diretamente relacionada ao desenvolvimento sustentável.


Princípios

O solo é considerado um organismo vivo e deve ser revolvido o mínimo possível;
Uso de adubos orgânicos de baixa solubilidade;
Controle com medidas preventivas e produtos naturais;
O mato (ervas daninhas) faz parte do sistema. Pode ser usado como cobertura de solo e abrigo de insetos;
O controle de ervas daninhas é preventivo: manual e mecânico (roçadas);
Teor de nitrato na planta é baixo;
Os efeitos no meio ambientes são positivos: preservação do solo e das fontes de água.


10 motivos para consumir produtos orgânicos

Proteger as futuras gerações;
Prevenir a erosão do solo;
Proteger a qualidade da água;
Rejeitar alimentos com agrotóxicos;
Melhorar a saúde dos agricultores;
Aumentar a renda dos agricultores;
Apoiar os pequenos agricultores;
Prevenir gastos futuros;
Promover a biodiversidade;
Descobrir sabores naturais.


Características

O princípio da produção orgânica é o estabelecimento do equilíbrio da natureza utilizando métodos naturais de adubação e de controle de pragas.
O conceito de alimentos orgânicos não se limita à produção agrícola, estendendo-se também à pecuária (em que o gado deve ser criado sem remédios ou hormônios), bem como ao processamento de todos os seus produtos: alimentos orgânicos industrializados também devem ser produzidos sem produtos químicos artificiais, como os corantes e aromatizantes artificiais. Pode-se resumir a sua essência filosófica em desprezo absoluto por tudo que tenha origem na indústria química. Todas as demais indústrias: mecânica, energética, logística, são admissíveis desde não muito salientes.
A cultura de produtos orgânicos não se limita a alimentos. Há uma tendência de crescimento no mercado de produtos orgânicos não-alimentares, como fibras orgânicas de algodão (para serem usadas na produção de vestimentas). Os proponentes das fibras orgânicas dizem que a utilização de pesticidas em níveis excepcionalmente altos, além de outras substâncias químicas, na produção convencional de fibras, representa abuso ambiental por parte da agricultura convencional.
A pedologia limitou-se durante décadas ao estudo da estrutura físico-química do solo. Hoje a agronomia se ressente de seu desconhecimento da microfauna e microflora do solo e sua ecologia. Estima-se que 95% dos microrganismos que vivem no solo sejam desconhecidos pela ciência.
Muitos estados nos Estados Unidos agora oferecem certificação orgânica para seus fazendeiros. Para um sistema de produção ser certificado como orgânico, a terra deve ter sido usada somente com métodos de produção orgânica durante um certo período de anos antes da certificação. Além disso, somente certas substâncias químicas derivadas de produtos naturais (como inseticidas derivados de tabaco podem ser usadas na produção vegetal e/ou animal.
No Reino Unido, a certificação orgânica é realizada por algumas organizações, das quais as maiores são a Soil Association e a Organic Farmers & Growers. Todos os organismos certificadores estão sujeitos aos regulamentos da Penitente King dom Registes of Organic Food Standards, ligado à legislação da União Européia. Na Suécia, a certificação orgânica é realizada pela Krav. - Na Suíça, o controle é feito pelo Instituto Biodinâmico.


Importância econômica

O movimento orgânico cresce em todo o mundo, e mesmo nos EUA é grande o número de homegardeners que utilizam a produção orgânica - isto é, pessoas que optaram por produzir em casa os vegetais que consomem para garantir a isenção de agrotóxicos.
A produção orgânica, por sua própria natureza, se adequa à pequena propriedade rural, e com freqüência esses produtores se organizam em cooperativas para comercializar seus produtos. Essa organização permite o contato direto com o mercado consumidor, crescente nos grandes centros. A demanda por produtos orgânicos tem sido maior que a oferta, levando a um aumento dos preços dos alimentos orgânicos (e consequentemente, um aumento na renda dos seus produtores). Além disso, cresce o número de feiras de produtos orgânicos, onde o produtor vende direto ao consumidor. Também a pecuária orgânica, que utiliza sistemas como o pastoreio Voisin, escoa laticínios por este sistema sem intermediários.
O comércio internacional de produtos orgânicos tem nos países da Europa setentrional um de seus grandes compradores.

Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_org%C3%A2nica Acessado em: 6/11/2009

Pesquisa

video


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=jd7O9Zgi3BU

Pesquisa

Alimentos Orgânicos

O produto orgânico é cultivado sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos.As técnicas de produção orgânica são destinadas a incentivar a conservação do solo e da água e reduzir a poluição. Segundo o Instituto Biodinâmico (IBC), um certificador brasileiro reconhecido internacionalmente, a produção orgânica no Brasil cresce 30% ao ano e ocupa atualmente uma área de 6,5 milhões de hectares de terras, colocando o país na segunda posição dentre os maiores produtores mundiais de orgânicos principalmente devido ao extrativismo sustentável de castanha, açaí, pupunha, látex, frutas e outras espécies das matas tropicais, principalmente da Amazônia. Cerca de 75% da produção nacional de orgânicos é exportada, principalmente para a Europa, Estados Unidos e Japão. A soja, o café e o açúcar lideram as exportações. No mercado interno, os produtos mais comuns são as hortaliças, seguidos de café, açúcar, sucos, mel, geléias, feijão, cereais, laticínios, doces, chás e ervas medicinais.
Pelo menos 80% dos projetos certificados no Brasil são de pequenos agricultores familiares (cerca de 20 mil agricultores). As associações e cooperativas de pequenos produtores vem crescendo e viabilizam a agricultura orgânica em muitas regiões fixando o homem no campo. Muitas famílias consomem e vendem o que plantam.
O produto orgânico evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas. Protege a qualidade da água, a fertilidade do solo, a vida silvestre e são mais nutritivos. Incluir produtos orgânicos nas compras incentiva a produção e no longo prazo, torna os orgânicos mais baratos.Para esclarecer, o alimento hidropônico (produzido na água) não é orgânico pois utiliza adubos químicos solúveis. O selo de certificação é a garantia do consumidor de estar adquirindo produtos orgânicos isentos de qualquer resíduo tóxico. O sistema de cultivo orgânico observa as leis da natureza, respeita as diferentes épocas de safra e todo o manejo agrícola está baseado na preservação dos recursos naturais, além de respeitar os direitos de seus trabalhadores.

Disponível em: http://www.natureba.com.br/alimentos-organicos.htm. Acessado em: 6/11/2009

Resumo

Temos como projeto o estudo da agricultura sustentável, buscando saber o que o governo tem feito para a produção familiar e agricultura sustentável. Nosso objetivo em geral, é buscar novas fontes alternativas que assegure à preservação do meio ambiente, buscando também saber o que se tem feito para incentivar a permanência do homem no campo e o consumo de produtos naturais produzidos pelas agroindústrias familiares, fazendo com que os preços dos produtos sustentáveis se tornem mais acessíveis.